Tools

campanha sarampo

Alerta é para servidores da área da saúde

Há 20 anos não havia registro de casos de sarampo no Paraná. Mas, neste mês de setembro, há sete casos comprovados e 47 em investigação no Estado. Essa informação gerou a adoção de medidas preventivas pelas autoridades de saúde de Maringá, que estão alertando, especialmente, aos trabalhadores da área que verifiquem sua situação vacinal. O Hospital Universitário, que possui quase 900 colaboradores, entre servidores técnicos, professores, alunos e voluntários, entrou em alerta e está mobilizando todos os grupos para se prevenirem contra a doença.

Segundo a enfermeira Hellen Carla Rickly, do Setor de Vigilância Epidemiológica do HUM, o alerta também foi deflagrado porque já há surtos de sarampo nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia. “Como a prevenção é feita com a vacina, estamos mobilizando os servidores do HUM para seguirem o protocolo determinado pelo Ministério de Saúde e pela Secretaria Municipal de Saúde de Maringá. O documento diz que todos os trabalhadores da área da saúde devem ter dois registros de imunização contra o sarampo na Carteira Vacinal. Quem não tiver e não conseguir provar terá que se receber as doses necessárias”, explica Hellen.

O sarampo é uma doença causada por um vírus, que compromete as vias áreas e pode levar a complicações como pneumonia, meningite e encefalite, o que pode causar a morte do paciente. Os sintomas da doença são: febre alta (39 ou 40OC); tosse; coriza; e manchas no corpo.

“É preciso ficar atento, porque nós, servidores do HUM, lidamos com o público do Hospital e ficamos vulneráveis. Todos precisam se imunizar porque o vírus passa pelo ar, em uma conversa com alguém contaminado, por exemplo. Desta forma, a comunidade inteira de servidores, de alunos, residentes, voluntários etc. precisam tomar a vacina para se prevenir. Já temos máscaras para oferecer aos usuários que chegam ao Pronto Atendimento com os sintomas da doença. Mas precisamos tomar a vacina, inclusive, o pessoal da UEM, que frequenta o HUM por meio de estágio, projetos etc.”, reforça Hellen Riclky.

Para se imunizar, o servidor deve se dirigir à Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima da sua casa, levando a Carteira Vacinal e o crachá ou comprovante que de que é colaborador do HUM.

A enfermeira Hellen aproveitou a oportunidade para dizer que o Ministério da Saúde e a Secretaria Municipal de Saúde de Maringá têm, ainda, um protocolo para a população em geral. As crianças, agora, estão sendo vacinadas contra o sarampo aos seis meses, em vez de um ano de idade. As pessoas até 29 anos devem comprovar duas doses e as de 30 a 49 anos comprovar, pelo menos, uma dose. “Verifiquem suas carteiras vacinais, procurem as UBS e previnam-se contra o sarampo, porque a doença pode matar”, concluiu a enfermeira.

uem tv